02 dezembro 2016

Paulo Machline Revela Experiência Transformadora na Direção de "O Filho Eterno".


Em vídeo inédito, diretor é elogiado pelo elenco do filme

O filme me fez ser uma pessoa melhor”, é assim que Paulo Machline define a experiência na direção do longa O FILHO ETERNO, produzido por Rodrigo Teixeira e que chegou aos cinemas em 1ª de dezembro. Baseado no premiado livro homônimo de Cristóvão Tezza, o filme conta a história de Roberto (Marcos Veras), um escritor ainda não publicado e seguro de que o nascimento do primeiro filho é o pontapé para uma nova vida. Mas, ainda no hospital, ele descobre que terá que se acostumar com a ideia de ser pai de Fabrício (Pedro Vinicius), uma criança com síndrome de Down.  A notícia provoca uma série de emoções e conflitos que afetam a relação de Roberto com o trabalho e o seu casamento com Cláudia (Débora Falabella).

- Foi um desafio por completo, um mergulho no desconhecido, não tinha esse convívio com síndrome de Down e foi uma adaptação muito difícil, por isso, aceitei esse desafio – revela o diretor. O esforço valeu a pena, o elenco e equipe do filme são só elogios ao diretor. “A direção do Paulinho foi incrível porque ele se mostrou um diretor muito parceiro dos atores, da equipe, se mostrou um cara muito generoso”, revela Veras. “Acho que não poderia ter tido uma pessoa melhor para dirigir porque ele dava liberdade para a gente em relação às cenas, o roteiro, tinha muito diálogo”, completa Débora.


Machline revela ainda que o filme foi um divisor de águas na sua vida. “Eu sou um pai melhor, um amigo melhor. Passei por uma transformação durante as filmagens, todo o período do filme, desde o roteiro. E a minha expectativa é que as pessoas que forem assistir passem por uma situação semelhante, que entrem no cinema de uma forma e saiam de outra, que compreendam uma coisa que é tão simples, que é esse amor que a gente tem dentro da gente”.

O FILHO ETERNO é uma coprodução com a Globo Filmes e conta com distribuição da Sony Pictures.

Nenhum comentário: