02 dezembro 2016

Débora Falabela Explica o Amor Incondicional de Personagem em “O Filho Eterno”.

Atriz revela que o filme foi uma boa surpresa para ela

Um desejo antigo do diretor Paulo Machline se realizou no filme O FILHO ETERNO, que estreiou dia 1º: trabalhar com a atriz Débora Falabella. “Débora é uma atriz versátil, fantástica, eu sempre tive vontade de trabalhar com ela”, revela o diretor.

No filme produzido por Rodrigo Teixeira, Débora vive Cláudia, a mulher de Roberto (Marcos Veras), um escritor ainda não publicado que entra em conflito ao descobrir que o filho tem síndrome de Dowm.
- O filme, além de falar muito sobre a questão desse pai, descobrindo o que é a paternidade, ele fala da minha personagem, que é uma mãe. Diante de como o pai estava reagindo, a personagem foi aberta para aquilo. Para ela, era algo natural, desde que o menino nasceu, ela já amava esse filho, de uma forma mais instintiva. Acho que quem for assistir, vai poder ver um filme sobre família, um filme de amor, de relações delicadas, de uma forma muito íntima – afirma Débora

Para a atriz, fazer o filme foi uma grande surpresa. “Achei o Paulinho (Machline) de uma delicadeza como diretor, a maneira como nos dirigia. Foi lindo de ver como o Veras construiu o trabalho, e o Pedro, que muitas vezes dava aquele tom para o filme, que dava aquele frescor. Acho que esse amor que ele tem, essa espontaneidade, ficam no filme”, opina.


Baseado no premiado livro homônimo de Cristóvão Tezza, o longa mostra uma série de emoções e conflitos que afetam a relação de Roberto com o trabalho e o seu casamento com Cláudia a partir do nascimento de Fabrício (Pedro Vinicius). Ao longo de 12 anos, o verdadeiro significado da paternidade é revelado, em meio a obstáculos, conquistas e descobertas. O FILHO ETERNO é uma coprodução com a Globo Filmes e conta com distribuição da Sony Pictures.

Nenhum comentário: