07 novembro 2016

“MULHER DO PAI” Recebe o Prêmio da ABRACCINE de Melhor Filme Nacional da 40a Mostra Internacional de Cinema


Filme de estreia da diretora Cristiane Oliveira chegará ao circuito em 2017


MULHER DO PAI, de Cristiane Oliveira, recebeu mais um prêmio: O filme foi o escolhido pela Abraccine (Associação Brasileira de Críticos de Cinema) como o melhor filme da 40a Mostra Internacional de Cinema. Premiado também no Festival do Rio com os troféus de Melhor Direção e Melhor Fotografia e atriz coadjuvante, o longa conta a história de Ruben (Marat Descartes) e Nalu (Maria Galant), pai e filha que precisam reaprender a se relacionar após a morte da avó da menina.

Com estreia prevista para 2017,
MULHER DO PAI é uma coprodução Brasil – Uruguai, produzido pela Okna Produções com a Transparente Filma e distribuído pela Vitrine Filmes. A parceria de sucesso com o país vizinho trouxe talentos uruguaios renomados internacionalmente, como o consultor de arte Gonzalo Delgado (diretor de arte do filme “Whisky”, de Pablo Stoll e Juan Pablo Rebella); o técnico de som Raúl Locatelli (“Luz Silenciosa”, de Carlos Reygadas); o diretor de produção Diego Fernandez (“Whisky”); a atriz Verónica Perrotta (“Whisky” e “Acné”, de Federico Veiroj); e o ator Jorge Esmoris (“Artigas: La Redota”, de César Charlone).

Primeiro longa-metragem de Cristiane Oliveira, o filme foi todo rodado no interior do Rio Grande do Sul na fronteira com o Uruguai, em uma vila de funcionários das estâncias de gado. Além de consertar estradas e fazer melhorias na região, a produção pôde proporcionar trabalho remunerado para as mulheres do local. Como a cidade vive basicamente da cultura do gado, que oferece pouco espaço para a mulher, muitas delas acabam se dedicando exclusivamente à casa e à família. As mulheres são uma constante na obra da diretora e roteirista, que realiza seu primeiro longa com protagonista feminina e conta com diversas mulheres nas funções chaves de equipe.


Sinopse
Quando Ruben percebe que a filha Nalu, aos 16 anos, já é uma mulher, uma perturbadora proximidade surge entre os dois. O estranhamento inicial dá lugar ao ciúme com a chegada de Rosario, uma atraente uruguaia, que ganha espaço na vida de ambos.


Sobre a diretora
Nascida em Porto Alegre, estreou na direção com o curta “Messalina" (2004), exibido na competição oficial dos Festivais do Rio, Gramado e Brasília. Nesses últimos ganhou o Kikito de Prêmio Especial do Júri e os Candangos de Melhor Roteiro e Atriz.  O filme recebeu outros dez prêmios pelos mais de 20 festivais que participou mundo afora. De lá para cá, Cristiane dirigiu outros dois curtas ("Hóspedes", 2008 e "Portualleria", 2007) e atuou como assistente de direção, roteirista (como do longa "Nove Crônicas para um Coração aos Berros", de Gustavo Galvão, premiado pelo júri da FIPRESCI no Festival Internacional do Uruguai) e produtora (como do longa "Ainda Orangotangos", de Gustavo Spolidoro, Melhor Filme no Festival de Milão). Atualmente, Cristiane prepara outros dois projetos de longa que foram premiados em editais de desenvolvimento: O Luto de Joana, no Prodav do FSA, e Antes que a Música Pare, no edital de projetos Brasil-Itália.

Nenhum comentário: