12 fevereiro 2009

"Cinco Biografias do Teatro Paranaense"


Ivam Cabral e Marianne Cabral Baggio, são os autores do livro "Cinco biografias do teatro paranaense". Ivam Cabral é ator e fundador da Cia. Os Satyros, e a Marianne Baggio é jornalista e mestre em Economia. A publicação foi viabilizada pela Lei de Incentivo à Cultura, da Fundação Cultural de Curitiba, com patrocínio do Banco do Brasil.
As biografias reunidas nas 152 páginas do livro pertencem a cincos importantes nomes das artes cênicas: César Almeida, Edson Bueno, Lala Schneider, Mário Bortolotto e Silvanah Santos.
“Ivam Cabral e Marianne Cabral Baggio se concentram minuciosamente na análise de detalhes e de circunstâncias da vida e obra de alguns dos mais importantes artistas dos palcos paranaenses. Não se trata, pois, de um painel generalista, mas de um relato aprofundado no perfil de cinco dos mais destacados artistas do Paraná”, diz Rodolfo García Vázquez, diretor e também fundador d’Os Satyros.
Não é a primeira vez que a companhia paulistana – nascida em Curitiba – se debruça sobre aspectos da história teatral. Segundo Cabral “o Satyros sempre considerou fundamental a pesquisa e o resgate da memória do teatro local”.
Este processo iniciou-se em 1998, com o projeto “Tertúlias”, composto de entrevistas registradas em vídeo onde se debatiam questões presentes nas reflexões da classe artística paranaense. Participaram de “Tertúlias” Ivanise Garcia, Hugo Mengarelli, Marcelo Marchioro, Paulo Biscaia Filho, entre outros.
“Cartazes do Teatro Paranaense”, lançado em 1999, tornou-se uma referência para estudiosos da cena paranaense. Escrito por Ivam Cabral com a colaboração de Rodolfo García Vázquez e Silvanah Santos, o livro reúne mais de uma centena de entrevistas com personalidades do meio teatral, acompanhada de recortes de jornais, cartazes e um estudo aprofundado das produções teatrais em especial a partir dos anos 50.
“Memória Videográfica dos Atores Paranaenses”, de 2003, registrou entrevistas com vinte personalidades, onde foram discutidas a trajetória pessoal, a formação artística, os espetáculos e a evolução do teatro realizado no Estado.

Nenhum comentário: